Lean Startup: o que é e como aplicar negócios

Criada por Eric Ries, famoso empreendedor do Vale do Silício, a Lean Startup em tradução literal significa “startup enxuta”. Desta forma, essa nova modalidade administrativa traz para as startups processos mais objetivos e eficientes, utilizando apenas recursos disponíveis, sem gastar muito dinheiro.

Uma das principais premissas da Lean Startup é de que “quanto maior a velocidade e menor o custo de cada iteração (repetição), maiores são as chances de um novo negócio dar certo” – deixando de lado o conceito tradicional de gestão, para dar espaço para um processo que defende novas experimentações e a opinião do cliente.

Seguindo a linha de raciocínio do criador do conceito Eric Ries, essa metodologia possui alguns princípios fundamentais que formam sua base:

  • Mínimo Produto Viável (MPV): consegue reter muito mais informações e aprende sobre as necessidades e expectativas do cliente final;
  • Deploy Contínuo: desenvolve novos recursos e os disponibiliza em tempo reduzido para que a avaliação do cliente seja feita de forma rápida;
  • Teste A/B: disponibiliza no mercado duas versões do produto final, com o intuito de ver como os clientes reagem sobre os diferentes modelos do produto;
  • Métricas Acionáveis: oferecem todas as informações necessárias para que a gestão possa tomar decisões sobre o negócio;
  • Pivot: pode ser visto como uma nova hipótese estratégica, exigindo uma mudança completa no curso de um produto.

Além disso, o conceito baseia-se na combinação de três pilares extremamente importantes, que são:

  • Customer Development: avalia e testa todas as hipóteses das startups sobre os clientes, produtos e mercado;
  • Desenvolvimento Ágil: emprego das metodologias como Extreme Programming (XP) e Scrum que colaboram para a redução de tempo de cada repetição de desenvolvimento, ampliando a velocidade do aprendizado por meio do feedback dos clientes da startup;
  • Uso da Tecnologia: é essencial que as startups utilizem a tecnologia a seu favor durante a realização de todos os processos. Pode-se destacar a utilização de serviços, frameworks e redes sociais, que apresentam menor custo, permitem o desenvolvimento e o crescimento ágil da startup.

Por que aplicar o conceito nos negócios?

Essa nova metodologia é uma ótima opção para ser adotada nos negócios, pois auxilia no desenvolvimento e lançamento de novos produtos no mercado. Para entender melhor do porque aplicar o conceito em sua empresa, veja abaixo alguns dos principais motivos:

  • Deixam todos os processos internos e externos muito mais rápidos e organizados;
  • A organização fica muito mais maleável e eficiente;
  • Possibilitam descobrir o que está e o que não está dando certo, para que novas estratégias sejam adotadas;
  • Facilitam a descoberta e a exclusão das fontes de desperdício dentro da startup;
  • Dão a possibilidade da startup ter novas experimentações e insights através dos feedbacks dos clientes.

Claro que não existe a fórmula do sucesso, entretanto, o conceito pode ser bastante eficaz para o seu negócio. Afinal, o método ajuda as empresas a testarem suas ideias com muito mais rapidez e eficiência.

E aí, você já conhecia esse método? Deixe sua opinião nos comentários!

Posted by admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *