Alphagraphics blog

Tag: business.

Você está oferecendo uma boa experiência para o seu cliente?

Você está oferecendo uma boa experiência para o seu cliente?

Oferecer boas experiências e um bom atendimento aos clientes deve ser prioridade dentro das empresas, uma vez que eles estão cada dia mais exigentes e influentes dentro do mercado. Sendo assim, é muito importante se perguntar se você está oferendo um serviço impecável e exclusivo para o seu público-alvo.
Proporcionar um bom atendimento pode ajudar a fidelizar os clientes, incentivando-os a procurarem por novos produtos dentro da empresa. Para que o seu negócio fique ainda melhor, separamos algumas dicas para tornar o serviço oferecido pela sua empresa único!

Como proporcionar boas experiências para o seu cliente?
Entenda seu cliente
Para saber se o seu atendimento está sendo feito da melhor forma possível, o ideal é olhar a empresa do ponto de vista do seu cliente. Afinal, só assim você conseguirá entender realmente se todos os processos estão funcionando, quais os pontos fortes e fracos e se as necessidades do seu público estão sendo atendidas corretamente.
Isso pode ser realizado através de ligações para a central de atendimento, indo as lojas ou solicitando os serviços pelos meios oferecidos pela empresa, sem se identificar como gestor em um primeiro momento.
Apenas desta forma, você conseguirá ter soluções mais efetivas para os problemas presentes dentro da empresa, assim como maneiras de intensificar a qualidade do serviço oferecido.
Crie canais para receber feedbacks
Uma das melhores formas de saber se está oferecendo uma boa experiência para os seus clientes é buscar por feedbacks. Isso pode ser feito através de fichas de avaliação e sugestões, pós-venda, chat, site ou redes sociais.
Nessa pesquisa deve ser perguntado sobre o produto, quais as sugestões, reclamações e críticas, para saber o que deve ser melhorado. Desta maneira, você conseguirá colher informações direto da fonte mais importante para a sua empresa.
Parta para a ação!
Depois de se colocar na pele dos seus consumidores e colher todos os feedbacks, chegou o momento de reunir essas informações e buscar soluções para melhorar o atendimento e a experiência oferecida aos seus clientes.
Sempre leve em consideração o perfil de cada um deles, quais pontos do atendimento são relevantes e como você pode surpreendê-los de forma positiva. Todas essas informações poderão auxiliar a sua empresa a se tornar ainda mais consolidada no mercado e entre os seus consumidores. Além disso, o consumidor que tem uma boa experiência é aquele irá voltar e ainda indicar o serviço para outras pessoas.
Trabalhamos com soluções de marketing e design para ajudar você a oferecer a melhor experiência para o seu cliente. Temos uma equipe especializada para atendê-lo em todas as demandas de marketing, impressão e sinalização. Entre em contato com uma de nossas unidades e saiba mais! Read article →

Lean Startup: o que é e como aplicar negócios

Lean Startup: o que é e como aplicar negócios Criada por Eric Ries, famoso empreendedor do Vale do Silício, a Lean Startup em tradução literal significa “startup enxuta”. Desta forma, essa nova modalidade administrativa traz para as startups processos mais objetivos e eficientes, utilizando apenas recursos disponíveis, sem gastar muito dinheiro.
Uma das principais premissas da Lean Startup é de que “quanto maior a velocidade e menor o custo de cada iteração (repetição), maiores são as chances de um novo negócio dar certo” - deixando de lado o conceito tradicional de gestão, para dar espaço para um processo que defende novas experimentações e a opinião do cliente.
Seguindo a linha de raciocínio do criador do conceito Eric Ries, essa metodologia possui alguns princípios fundamentais que formam sua base:


Mínimo Produto Viável (MPV): consegue reter muito mais informações e aprende sobre as necessidades e expectativas do cliente final;
Deploy Contínuo: desenvolve novos recursos e os disponibiliza em tempo reduzido para que a avaliação do cliente seja feita de forma rápida;
Teste A/B: disponibiliza no mercado duas versões do produto final, com o intuito de ver como os clientes reagem sobre os diferentes modelos do produto;
Métricas Acionáveis: oferecem todas as informações necessárias para que a gestão possa tomar decisões sobre o negócio;
Pivot: pode ser visto como uma nova hipótese estratégica, exigindo uma mudança completa no curso de um produto.

Além disso, o conceito baseia-se na combinação de três pilares extremamente importantes, que são:


Customer Development: avalia e testa todas as hipóteses das startups sobre os clientes, produtos e mercado;
Desenvolvimento Ágil: emprego das metodologias como Extreme Programming (XP) e Scrum que colaboram para a redução de tempo de cada repetição de desenvolvimento, ampliando a velocidade do aprendizado por meio do feedback dos clientes da startup;
Uso da Tecnologia: é essencial que as startups utilizem a tecnologia a seu favor durante a realização de todos os processos. Pode-se destacar a utilização de serviços, frameworks e redes sociais, que apresentam menor custo, permitem o desenvolvimento e o crescimento ágil da startup.

Por que aplicar o conceito nos negócios?
Essa nova metodologia é uma ótima opção para ser adotada nos negócios, pois auxilia no desenvolvimento e lançamento de novos produtos no mercado. Para entender melhor do porque aplicar o conceito em sua empresa, veja abaixo alguns dos principais motivos:


Deixam todos os processos internos e externos muito mais rápidos e organizados;
A organização fica muito mais maleável e eficiente;
Possibilitam descobrir o que está e o que não está dando certo, para que novas estratégias sejam adotadas;
Facilitam a descoberta e a exclusão das fontes de desperdício dentro da startup;
Dão a possibilidade da startup ter novas experimentações e insights através dos feedbacks dos clientes.

Claro que não existe a fórmula do sucesso, entretanto, o conceito pode ser bastante eficaz para o seu negócio. Afinal, o método ajuda as empresas a testarem suas ideias com muito mais rapidez e eficiência.
E aí, você já conhecia esse método? Deixe sua opinião nos comentários! Read article →

6 Dicas para uma Reunião mais Produtiva

6 Dicas para uma Reunião mais Produtiva Muito frequentes no mundo corporativo, as reuniões são encontros organizados para que os colaboradores fiquem sabendo dos processos organizacionais, discutam assuntos pertinentes à sua rotina de trabalho e ajudem nas tomadas de decisão. Trata-se de um artifício indispensável para que a empresa alcance os resultados almejados e para que todos desenvolvam seu trabalho de maneira a buscar sempre um objetivo em comum.
Justamente por considerar que esses eventos são fundamentais para seu sucesso, muitas empresas caem no erro de realizar reuniões em excesso. Isso faz com que a maioria dos profissionais veja a reunião como uma perda de um tempo que poderia ser melhor aproveitado com outras ações. Para evitar que isso aconteça, é fundamental que as reuniões sejam produtivas e ágeis. Saiba como fazer isso a seguir:

6 dicas essenciais para fazer uma reunião produtiva
1. Defina e apresente a pauta antecipadamente
Saber qual o assunto será tratado na reunião é fundamental para que o encontro seja produtivo, pois garante que todos se mantenham focados na pauta. Portanto, defina previamente o tema da reunião e classifique os subtemas que deverão ser abordados, de modo a garantir que as decisões mais importantes sejam discutidas primeiro.
Também vale a pena avisar os participantes previamente a respeito do assunto da reunião, permitindo que eles se preparem antecipadamente para debater sobre o tema e desenvolvam ideias para serem apresentadas durante o encontro.

2. Estabeleça um horário de encerramento
A maioria das pessoas agenda o horário de início da reunião, mas esquece de estipular um horário para que ela termine. O ideal, na verdade, é que o encontro tenha um tempo limite de duração, e encerrar a discussão dentro do horário previsto evita que os participantes fiquem cansados e ansiosos para ir embora. Caso o assunto não tenha sido completamente solucionado, agende outro dia para continuar a discussão.

3. Elabore um roteiro
Para que a reunião seja realmente produtiva, você deve definir um roteiro a ser seguido, listando a ordem dos assuntos que serão discutidos e o tempo médio para apresentações e deliberações.

4. Convide as pessoas certas
Colaboradores que não estão diretamente envolvidos com o projeto que será discutido não devem participar da reunião. Isso porque, quanto maior o número de participantes sem interesse no assunto que está sendo tratado, maiores serão as dificuldades de comunicação e menor será a produtividade. O ideal é que cada participante presente na reunião seja capaz de contribuir com o tema discutido.

5. Mantenha o foco
Com tema, duração e objetivos bem definidos, cabe ao condutor da reunião a tarefa de fazer com que os participantes mantenham sua atenção focada nas questões pertinentes à pauta do encontro. Não deixe que o grupo desvie do assunto principal e foquem no que há de mais importante a ser discutido. Os detalhes podem ficar para um próximo encontro ou até mesmo para o dia a dia.

6. Registre
Documentar tudo o que foi abordado e decidido na reunião é importante para evitar problemas de comunicação e não deixar dúvidas a respeito das decisões tomadas. Ao marcar a reunião, eleja uma pessoa que se responsabilizará por tomar notas e elaborar a ata da reunião, que pode ser consultada mais tarde por quem precisar verificar o que foi deliberado.
E aí, quantas reuniões realmente produtivas você tem na sua empresa? Compartilhe sua opinião conosco! Read article →

5 livros que todo empreendedor deveria ler

5 livros que todo empreendedor deveria ler Alcançar o sucesso como empreendedor é uma tarefa árdua, que exige muita persistência, paciência, disciplina e dedicação. Na medida em que a empresa e os lucros vão crescendo, é necessário que o empresário adquira novas habilidades e competências para continuar administrando seu negócio de maneira eficiente, inovando sempre que possível.
A capacitação profissional é fundamental para que o empreendedor esteja devidamente preparado para tomar decisões importantes, motivar seus colaboradores e conquistar o mercado. A formação de um empreendedor é um processo contínuo, uma vez que este tipo de profissional precisa acompanhar tudo o que acontece no mundo dos negócios e estar sempre à frente de seus concorrentes.
Uma das melhores maneiras de se manter em constante aprendizado é por meio da leitura. Para te ajudar nessa jornada, separamos 5 livros que não podem faltar na biblioteca de qualquer empreendedor. Confira:

5 livros obrigatórios para qualquer empreendedor
1. Trabalhe 4 horas por semana — Tim Ferris
5 livros que todo empreendedor deveria ler 1

Embora o título deste livro pareça um pouco preguiçoso, a proposta do autor não é a de trabalhar menos, mas trabalhar com qualidade. Ao longo das páginas, Tim Ferris fala sobre a importância de aproveitar o tempo da melhor maneira possível, com produtividade elevada e tempo livre para aproveitar a vida e se desenvolver cada vez mais como empreendedor.
2. Startup Brasil — Pedro Mello e Marina Vidigal
5 livros que todo empreendedor deveria ler 2
Este livro reúne a história de alguns empreendedores brasileiros bem-sucedidos, responsáveis pelo sucesso de marcas como O Boticário, Cacau Show, Buscapé e Turma da Mônica. Com diversas entrevistas, a obra tem o objetivo de ser um guia para aqueles que desejam se aventurar pelo mundo do empreendedorismo.

3. Investidor Anjo — Cassio Spina
5 livros que todo empreendedor deveria ler 3
Fundador da organização Anjos do Brasil, o autor explica o conceito de Investidor-Anjo — um investidor que aposta em projetos e organizações que ainda estão começando. Spina explica como esta relação funciona, orientando tanto empreendedores como investidores a respeito da melhor forma de proceder e negociar.

4. Foco – Daniel Goleman
5 livros que todo empreendedor deveria ler 4
Famoso pelo livro Inteligência Emocional, um clássico responsável por popularizar a ideia de que é fundamental saber controlar as emoções para ter sucesso na vida e na carreira, Daniel Goleman aborda a importância de manter o foco e a atenção. De acordo com o autor, as pessoas não sabem gerenciar as distrações da tecnologia e acabam perdendo o foco no trabalho. Para solucionar o problema, Goleman dá dicas de como melhorar a capacidade de concentração.

 5. A Arte da Guerra – Sun Tzu
5 livros que todo empreendedor deveria ler 5
Embora este livro tenha sido escrito com base em estratégias militares, os ensinamentos da famosa obra do general e filósofo chinês podem ser facilmente adaptados para o mundo dos negócios. Com 13 capítulos concisos e diretos, Arte da Guerra traz dicas preciosas a respeito de estratégia e busca pelo sucesso — seja em batalha ou no âmbito profissional.
A AlphaGraphics acredita no poder da leitura para alcançar o sucesso nos negócios e na vida pessoal, por isso temos o programa Incentivo à Leitura, no qual nossos funcionários são recompensados por lerem cada vez mais livros e compartilharem as informações que aprendem em cada nova leitura. Além disso, por meio do agBook, incentivamos novos autores independentes a editarem e publicarem seus livros online.
E aí, você já leu algum desses livros acima? Conte pra gente nos comentários! Read article →

O que é uma Startup e sua Influência nos Negócios

O que é uma Startup e sua Influência nos Negócios Embora seja muito usado nos Estados Unidos há algumas décadas, o termo “startup” só começou a ser amplamente usado no Brasil há pouco tempo. Inicialmente, esta era uma palavra que significava um grupo de pessoas trabalhando com uma ideia inovadora, com o intuito de obter lucros. Porém, o termo também é frequentemente aplicado para definir a ação de criar uma empresa e colocá-la em funcionamento.
Muitas pessoas consideram que todas as empresas que se encontram em seus primeiros meses de vida podem ser chamadas de startup, enquanto há quem diga que uma startup é um empreendimento que exige baixos custos de manutenção e tem capacidade de crescer de maneira acelerada e gerar lucros. Embora este seja um termo amplo e variável, a definição mais aceita atualmente é: startup é um modelo de negócio repetível e escalável, que cria algo novo em um cenário de incerteza.
Em outras palavras, a startup é uma empresa em processo de implementação, voltada para a geração de um trabalho inovador. Esses empreendimentos geralmente são criados com excelentes perspectivas financeiras e com boas projeções de lucros e crescimento. Por conta dessas características, é muito comum que uma startup seja comprada precocemente por uma grande empresa, justamente por conta de seu potencial inovador.

Qual a importância das startups para o mercado?
O mercado de startups tem crescido muito nos últimos anos, se mantendo aquecido mesmo durante o período de crise econômica enfrentada pelo Brasil. De acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), o setor de startups gera mais de 53 mil empregos no País e fatura cerca de 15 bilhões anuais.
Além de impulsionar a economia, a presença das startups no mercado contribui para a flexibilidade dos negócios, para uma maior agilidade na inovação de produtos e serviços, para o crescimento do empreendedorismo no País e para o aumento do dinamismo do mercado como um todo.
Vale destacar que o crescimento do empreendedorismo e da inovação é responsável por ampliar a exploração de áreas de mercado, incentivando a adoção de práticas cada vez mais modernas e mais vantajosas tanto para o consumidor quanto para as empresas, que se mantêm em constante inovação e crescimento. Por serem baseadas justamente na busca por práticas inovadoras, as startups contribuem significativamente para este processo de desenvolvimento.
A AlphaGraphics, por exemplo,  aproveita a agilidade das startups para lançar novos produtos e serviços. Semanalmente, nosso CEO, Rodrigo Abreu, faz um levantamento das parcerias que a rede mantém com diversas startups. Clique aqui para conferir a matéria completa sobre essas parcerias na Revista Exame PME.
E aí, qual sua opinião sobre a influência das startups nos negócios? Deixe seu comentário! Read article →

5 dicas para fazer um e-mail marketing que vende

5 dicas para fazer um e-mail marketing que vende O e-mail marketing é uma das mais poderosas ferramentas do marketing digital, contribuindo para a melhoria do relacionamento entre a marca e o cliente e favorecendo as conversões. Isso porque, sempre que recebe uma mensagem de determinada empresa, o consumidor lembra que ela existe.
Para que esses e-mails sejam mais do que uma mera lembrança e estimulem o cliente a considerar fazer negócios com a empresa, é necessário tomar alguns cuidados para que a mensagem realmente chegue à caixa de entrada do consumidor e evitar que o cliente se canse dos e-mails recebidos. Saiba como fazer isso com as 5 dicas abaixo:

5 dicas para fazer e-mail marketing com eficiência
1.Não compre listas de e-mails
O primeiro passo para fazer uma campanha de e-mail marketing é, obviamente, ter para quem enviar suas mensagens. Para isso, nada de comprar uma lista de e-mails já pronta: este é um investimento que não traz retornos efetivos, já que não contempla seus clientes em potencial. O ideal é criar uma lista de contatos com base nos seus clientes e em consumidores que se interessam por aquilo que você oferece.
2. Personalize as mensagens
Pessoas tendem a se conectar mais facilmente com outras pessoas. Portanto, experimente criar e-mails personalizados — seja incluindo o nome do destinatário e uma saudação pessoal, seja mostrando a pessoa que está por trás daquele contato (um gerente, vendedor ou porta-voz eleito pela empresa).
3. Dê um título que chame a atenção
Para que o e-mail marketing funcione, é essencial que o usuário se interesse e abra a mensagem enviada. Para isso, você deve criar um título impactante, que chame a atenção e desperte o interesse ou a curiosidade de quem está recebendo o e-mail. Uma boa maneira de fazer isso é mostrando algum benefício imperdível, mas realista. Tenha cuidado para não acabar criando um título apelativo demais, mas sem relação com o conteúdo da mensagem.
4. Envie e-mails na frequência adequada
O excesso de e-mails enviados incomoda e faz com que muitos clientes se cansem e optem por descadastrar seu endereço da sua base de contatos, o que pode fazer com que sua empresa perca diversos clientes em potencial. Opte por contatos quinzenais ou, no máximo semanais.
5. Ofereça conteúdo relevante
Em vez de escrever e-mails focados apenas em vendas, prefira criar uma relação de confiança com os consumidores. Para isso, ofereça um pouco do seu conhecimento a cada mensagem enviada, colocando-se como um especialista no assunto e mostrando ao consumidor como você pode ajudá-lo. Ao se posicionar dessa maneira, as vendas acontecerão naturalmente.
Tem alguma dúvida sobre como criar uma campanha de e-mail marketing ideal? Entre em contato conosco! Read article →