Não é a comunicação impressa que produz muito lixo

Mesmo com o avanço das mídias digitais, a produção brasileira de celulosa só cresce a cada ano. Segundo uma pesquisa recente feita pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), a fabricação desse material aumentou 3,8% no ano passado atingindo o seu volume recorde de 19,5 milhões de toneladas.

Esse crescimento se deve não só pelo fato de muitas pessoas utilizarem o papel diariamente para impressões, anotações ou rascunho,  mas também pela comunicação e mídia impressa ainda ser muito usada em todo o Brasil, principalmente dentro da publicidade e jornalismo que trabalham com impressos gráficos.

A comunicação impressa está presente em diversos veículos como revistas, jornais, informativos, anuários ou ainda peças de marketing como malas-direta, folders, flyers, panfletos, banners, entre outros.

Uma pesquisa feita pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostrou que dentro de um ranking, a mídia impressa está em quarto lugar com 45% em nível de confiança entre os entrevistados. Sendo que 60% dessas pessoas preferem ler no papel do que ver por meio das mídias digitais.

Esse tipo de comunicação ainda é muito presente dentro das empresas. Por ser algo muito mais concreto e palpável do que as mídias online, e por ter um vasto poder de divulgação, os impressos acabam passando maior credibilidade aos leitores em geral.

Entretanto, mesmo os dados parecendo assustadores e devastadores para o meio ambiente, não é a comunicação impressa que produz muito lixo ou libera gases de efeito estufa na natureza. A indústria eletrônica gera aproximadamente 41 milhões de toneladas de resíduos que são descartados incorretamente.

Saiba mais: Por que produzir papel NÃO destrói as florestas?

Desta forma, para minimizar os danos com desmatamento, gases de efeito estufa e a produção de lixo, as indústrias de fabricação de papel e empresas que se utilizam da comunicação impressa estão mais engajadas com a sustentabilidade.

Hoje o país possui um volume muito alto de recuperação de papéis, que são coletados após o uso e convertidos em novos produtos que retornam para a cadeia de consumo. Além disso, a maioria das florestas usadas para extração das árvores para fabricação do papel são 100% reflorestadas e desenvolvidas apenas para esse propósito.

Saiba mais: Contribuir com o meio ambiente não é apenas utilizar papel reciclado

Empresas como nossos parceiros da Two Sides e a própria rede AlphaGraphics vem encorajando o consumo responsável, como a impressão sob demanda que visa imprimir apenas o necessário, a impressão dos dois lados do papel dentro do escritórios e esquemas de reciclagem e separação de lixo, reduzindo significativamente os custos e melhorando a sustentabilidade, o que ajuda a melhorar a grave situação que se encontra o planeta.

Tem alguma dúvida sobre como colaborar com o consumo sustentável do papel? Deixe seu comentário!

Posted by admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *