Live a pena ver de novo: Educação em tempos de isolamento

Se tem algo que ouvimos muito nos tempos do isolamento foi a questão de pais e filhos dentro de casa, tendo que conciliar trabalho em casa, atividades escolares em casa, cozinhar em casa, brincar em casa e assim por diante.

A questão da educação em casa virou assunto amplamente discutido neste período. Mas não podemos esquecer que é um momento de grande ansiedade para todas as partes envolvidas: família, professores e gestores de escolas. Portanto, é preciso ter empatia.

Enquanto a família vive na ansiedade de conseguir acompanhar as atividades dos filhos, ter equipamentos disponíveis e até acesso à internet. Os professores não estão preparados para ensinar à distância. Os gestores se preocupam muito com inadimplência e folha de pagamento.

Citando Brené Brown e falando sobre vulnerabilidade, vemos que mostrar estas dificuldades é um caminho melhor para chegar à uma solução. Portanto, pedir ajuda é importante neste momento, mesmo sendo este ambiente de ansiedade, pois é uma ansiedade compartilhada onde todos estão passando pelo mesmo momento.

Falar de educação é falar sobre personalização. Cada indivíduo aprende de um jeito, em uma velocidade, através de variadas formas de absorção. Por isso temos que partir de uma premissa de que não existe “bala de prata”, não iremos encontrar uma solução que será uniforme e única. As soluções geralmente são híbridas e quase sempre personalizadas.

Vamos trabalhar então com as informações disponíveis, como por exemplo:

– Sobrecarga da família para que as atividades que a escola passa sejam executadas dentro da expectativa que a escola criou.

– Exigência de que o professor passe a usar de uma hora pra outra passe a usar toda a mediação tecnológica que existe.

Se há algo que neste momento precisamos cuidar é do socioemocional. Coo sairemos deste momento é que vai ditar nossas respostas de recuperação. E só conseguiremos sair produtivos e consciente se cuidarmos do nosso socioemocional.

Além do socioemocional, há também de se aprender a desaprender. Especialmente neste momento em que estamos vendo que muita coisa de nossa vida normal pode não voltar.

Para finalizar, resumindo um pequeno artigo de Harvard falando como as famílias têm lidado com esta questão da aprendizagem nos tempos de isolamento. E o artigo é legal porque ele fala de 3 grandes situações que devemos incentivar dentro de casa:

– Foque nos pequenos prazeres em família;

– Tire um tempo para brincar;

– Encontre maneiras de fazer a criança contribuir em casa;

Lembrem-se sempre que seguindo estes simples 3 passos, estamos protegendo a segurança emocional da criança dentro de casa.

 

Webinar exibido em 28/04/2020, por Robson Melo, da Estante Mágica.

Posted by Lucas Pinho

Marketing e Relacionamento

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *